26 de fevereiro de 2015

Sobre as férias.


Estou saindo de férias, volto assim que me encontrar
Texto: Ed Schramm. Fotos: Ed Schramm

Se todo o ano fosse de férias alegres, divertirmo-nos tornar-se-ia mais aborrecido do que trabalhar.


Inconstante que sou, não fiz muita coisa além de fotografar detalhes dos meus dias. Mas fui ao aeroporto, li alguns livros, viajei, dirigi, me apaixonei por alguns filmes, fiz roadtrip de 12h seguidas (!), vi muitas séries,  criei outro blog e mais uma vez pra fechar o ciclo, bati uns retratos (como o povo da terrinha costuma dizer).


Tomei banho de rio, andei pela areia branca que mais parecia neve e li O Hobbit enquanto apreciava montanhas ao horizonte, não deu pra resistir, parecia o cenário perfeito para proclamar algumas sentenças de Tolkien.


Escrevi algumas cartas 'para um amor ausente', enjoei do celular preto e taquei uma película branca nele. Comecei a ler um pouco sobre astronomia, baixei vários livros do Stephen Hawking que ainda não tive a chance de começar (talvez por não ser muito fã de leitura digital, mas farei esse esforço, aprendizagem nunca é demais) e risquei vários filmes da watchlist graças ao popcorn-time, uma coisinha abençoada esse programa!


Finalmente coloquei minha board favorita do pinterest em ação e redecorei meu quarto, disse adeus aos quase dois anos de paredes bege esverdeado que já estavam aqui quando cheguei, uma parede quadro-negro pintada por mim, bandeirinhas dos meus países favoritos e um foto-mural de polaroids e acredito que abracei uma mudança de look bem drástica. Me apaixonei por interiores escandinavos e tentei adaptar isso por aqui, pintando o quarto todo de branco para dar uma sensação de amplitude e escolhendo uma parede acento para receber listras horizontais para criar a ilusão de alongar o cômodo. E, minha parte favorita (e talvez mais cara de todo o projeto): trocar todo o bedding e passar a usar edredom 100% penas de ganso com capas (duvet & duvet cover) seguindo a linha da inspiração principal, tudo branco e com cheirinho de lavanda. Gostei muito do resultado final.


Muito City and Colour e algumas polaroids a menos no filme, clássicos dos meus dias quietinhos (que como Caio F. Abreu mesmo disse, apesar de quietinhos são lindos).


Pra terminar, muitos episódios de Friends pra não perder o costume e li e re-li algumas edições das minhas revistas favoritas.

E vocês, fizeram o quê nas férias?

8 de novembro de 2014

Lugares pra conhecer: Andalusia.


Andalucía por sí, para España y la humanidad
Texto: Ed Schramm.
Fotos: Kate Holstein via Cereal Mag

Andalusia é a mais populosa e segunda maior em area das comunidades autônomas da Espanha. O território é dividido em oito províncias: Almería, Cádiz, Córdoba, Granada, Huelva, Jaén, Málaga e Sevilla – que também é a capital.




De Cadiz, Andalusia, na bancada do topo de uma colina, observando uma linha de água conectando o Atlântico ao Mediterrânio. Aqui, os edifícios de pedra branca e céus delicados se fundem em um só enquanto os pássaros voam baixo em direção aos vales que abraçam esse lugar, dotados de fazendas e diversas plantações de frutas.


O nome "Andalusia" é derivado de uma palavra árabe Al-Andalus (الأندلس) e o termo deriva de uma palavra mais antiga: Vandalusia ou terra dos Vândalos (uma tribo germânica oriental). Além de influências muçulmanas e romanas, a história e cultura da região tem sido influenciadas pelos povos iberianos, cartagineses, gregos, vândalos, bizantinos e vários outros.

Com aproximadamente 30 milhões de visitantes por ano. Os principais destinos turísticos de Andalusia são Costa del Sol e Sierra Nevada. Andalusia é um dos lugares mais ensolarados e quentes na Europa, se tornando um centro de turismo 'sol e areia'. Quanto ao turismo cultural, Andalusia possui monumentos notáveis datando à era Muçulmana: o Great Mosque of Córdoba, Alhambra em Granada, Giralda e Alcazar em Seville. Existem centenas de destinos culturais: catedrais, castelos, fortes, monastérios e cidades com centros históricos. As áreas centrais de Úbeda e Baeza na província de Jaén são consideradas Patrimônios Mundiais da Humanidade pela UNESCO.

 

julho agridoce

todos os direitos reservados | 2011-2014 ©

layout | desenvolvimento por:
Ed Schramm