26 de agosto de 2014

iPhoneography

Há algum tempo atrás eu postava mensalmente as fotos do Instagram por aqui, mas essa tag do blog ficou abandonada por alguns meses. Pra aproveitar a mudança do layout, vamos reviver ela um pouquinho? Aqui vão uns detalhes do que aconteceu nos últimos trinta dias.




Queria ter a mesma disposição pra atualizar o blog sempre. Mas nem tudo são flores, não é mesmo?

9 de agosto de 2014

Fazer parte da comunidade.

Desde que cheguei nos cantos escuros e infinitos da internet, sempre fui um entusiasmado por fotografia e durante os anos, existiram várias plataformas sociais para aqueles que, como eu, compartilhavam um interesse em 'escrever com a luz'. O mais notável é, sem dúvida, o Flickr, conheci meus fotógrafos favoritos por conta dele quando estes nem mesmo eram profissionais. Isso é algo muito especial e honestamente, uma das melhores coisas que os tempos modernos nos tem dado.


Ultimamente, tenho me divergido do mundo das DSRL's e lentes super potentes, não que eu não goste mais, porém meu foco foi sugado e dominado pelo Instagram desde que o app foi lançado. Sou um usuário ávido e recentemente consegui uma razoável visibilidade. O que me levou a escrever isto, o Instagram está mudando (já mudou) a maneira como uma plataforma social e suas respectivas empresas lidam com seus clientes/usuários.






De uma maneira nunca vista antes, o Instagram dá algo em retorno. Eles se esforçam constantemente para engajar usuários de uma forma social e frequentemente, homenageiam vários através de features. Tive a honra de entrar para a lista de usuários sugeridos por um pequeno período de tempo (devido a minhas crenças e objetivos). E algumas semanas atrás, um dia antes do meu aniversário, eu recebi esta caixinha no correio com os dizeres #communityfirst (a Comunidade em primeiro lugar). E isso realmente é algo que engloba o Instagram, a comunidade. Achar, cutir, encontrar, fazer amizades com as pessoas por trás das pequenas telas.








É seguro afirmar que 98% das vezes que tiro meu celular do bolso, é pra checar o feed e o que as pessoas que eu sigo postaram desde a última vez que abri o app. Acredito que o que fez essa ideia um tremendo sucesso foi a maneira como o foco foi dirigido pra tirar-editar-publicar (o fastfood da fotografia), em um mundo altamente tecnológico, a comunidade do Instagram vem mostrando a união perfeita entre real e virtual e quebrando as barreiras entre os dois espaços. E se você, como eu, gosta de fazer parte dessa comunidade, dá uma olhada no meu perfil em @edschramm.